e-commerce

O inevitável e-commerce: seu alto crescimento vs desafios remanescentes

Na América Latina, o Brasil é o país com maior faturamento no e-commerce: 36% da população online é digital buyer. Este número garantiu R$133 bilhões em 2018, destacando como principais drivers Lazer e Marketplace. 

Estes são apenas alguns dos dados muito significativos levantados na 40º edição do relatório de maior credibilidade sobre o comércio eletrônico brasileiro, o Webshoppers, que compara os números do e-commerce entre o primeiro semestre de 2018 e o primeiro de 2019. 

Porém, mesmo com o futuro promissor, o e-commerce ainda enfrenta alguns bloqueios mentais do consumidor brasileiro, que podem impedir um crescimento ainda maior. E você já parou para se questionar os motivos pelos quais isso acontece e como superá-los?

Leia também: O papel das empresas na transformação cultural

Futuro promissor do e-commerce versus bloqueios mentais do consumidor brasileiro

O crescimento é inevitável, uma vez que para se manter competitivo no mundo transformado digitalmente é fundamental ter presença digital e realizar negócios online, porém, ainda existem pessoas e empreendedores que não se sentem seguros com compras e vendas no ambiente virtual.

Pode até parecer besteira para o público totalmente imerso na internet, mas, quem nunca titubeou com uma mensagem desconhecida do Windows e deixou de atualizar o computador? 

O número de pessoas que deixam de tomar uma decisão de compra ou venda por falta de conhecimento e familiarização com Marketplaces e outras lojas virtuais é enorme, e o motivo são os mesmos que já te impediu de fazer as atualizações de seu computador: medo e insegurança. 

A taxa de conversão no comércio eletrônico brasileiro é de aproximadamente 1.65%, isto significa que mais de 98% das pessoas que buscam por algum produto ou serviço, não fecham a compra na hora, abandonam o carrinho ou o deixam vazio

Agora, de onde surge essa insegurança e como as empresas podem ajudar a mitigá-la?

Muito além das ferramentas tecnológicas, é preciso reconhecer o perfil do brasileiro

É muito comum surgirem entre os possíveis compradores perguntas como: o que me garante que o produto é o mesmo que eu estou vendo? Será que essa loja é confiável? O que eles vão fazer com todos esses meu dados? E se eu não receber?

Apesar da enxurrada tecnológica que aconteceu no mundo nos últimos 10 anos e do grande número de brasileiros online, a população brasileira, em sua maioria, não conhece o trâmites de uma compra virtual, como ela acontece, o que garante sua segurança e nem o quanto é importante para as empresas garantir que a negociação aconteça da melhor maneira possível.

Um outro fator que pesa bastante é o que acontece no pós-venda: atendimento ineficaz ou inexistente. O que gera reclamações e problemas em uma venda eletrônica é justamente a dificuldade das lojas em atender com excelência. A compra não termina com a entrega do produto ao cliente, mas com um feedback positivo após sua encomenda chegar ao destino e o produto ou solução estar funcionando.

O que é preciso para ter sucesso no e-commerce?

Para desviar de todos esses bloqueios e culturas enraizadas, as empresas que pretendem ingressar e se manter competitivas no e-commerce precisam estar cientes de que o processo de compra deve ser mapeado com o intuito de ajudar o cliente em todas as etapas de sua jornada, além de empoderá-lo com o conhecimento e segurança necessários para fechar negócio e fidelizar este consumidor.

Além disso, é preciso entender que o mercado online se desenvolve muito mais pelos dados que o empreendedor coleta nas interações de seus consumidores do que com as vendas propriamente dita. 

Quando o cliente dá uma “passeada” na loja online e deixa rastros do caminho percorrido e dos interesses, é possível usar essas informações para entender como os consumidores reagiram às suas ações de venda e, a partir disso, criar estratégias assertivas para melhorar o índice de conversão e criar autoridade para a marca a ponto dela ser reconhecida por suas características singulares e pela qualidade dos serviços entregues.

A importância disso? Estima-se que o Brasil tenha atualmente 139 milhões de usuários de internet, com 90% desse público usando a internet todos os dias. Ou seja, oportunidade para crescimento é o que não falta.

Para você cair de cabeça no mundo do e-commerce, neste ProTalks entrevistamos Patrick Marquart, Director of Sales na VTEX, uma multinacional brasileira de tecnologia com foco em cloud commerce, com atuação global e clientes como Walmart, Whirlpool, Lego, Disney, L’oreal, Sony, Coca-Cola, Staples, O Boticário, Nespresso, Ambev, Tramontina, Bosch e outras 2.500 lojas em 25 países. 

Dê play no vídeo para entender qual é o papel do e-commerce na vida do consumidor, a importância dele dentro das organizações, os desafios a serem superados e muito mais:

Taynar Costa
Taynar Costa
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *