Afinal, o que as empresas de alta performance têm em comum?

Foi-se o tempo em que o sucesso de uma empresa era medido apenas pelo seu tamanho ou pelo lucro obtido no final do mês.

Especialistas afirmam que hoje, além dos importantes indicadores mencionados acima, a alta performance ou o sucesso de uma corporação está atrelado a questões muito mais voltadas à capacidade da empresa se reinventar, otimizar processos, diminuir falhas operacionais e promover o melhor ambiente para que seus colaboradores possam trabalhar.

Outro importante ponto em comum observado nestas empresas é o dinamismo na atuação causado pela alta interação entre os diretores de diferentes setores, fazendo com que o desempenho do negócio seja afetado positivamente.

A colaboração efetiva e em conjunto por sua vez, está atrelada ao bom desempenho da empresa e dos colaboradores. Este por sua vez está diretamente ligado ao crescimento dos lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, além do aprimoramento de métricas de recursos humanos, incluindo participação de empregados e aumento de produtividade.

Com isso é possível listar características em comum, que permitem que as corporações adotem a fim de otimizar seus resultados:

Maturidade organizacional e operacional

Negócios de alta performance geralmente têm setores integrados em sua atuação. Isso permite a construção de processos e a definição de indicadores em comum entre as áreas. Além do mais, corporações que operam assim, no geral, compartilham centros de serviços ou softwares em comum otimizando recursos e diminuindo os gargalos operacionais.

Os modelos de governança também são mais maduros, permitindo que a interação entre os gestores e a diretoria fique mais claro, ajudando na tomada de decisões com embasamento no cenário real em que o negócio se encontra, dando mais assertividade à essas ações.

Em tempo, podemos dizer que a integração entre as áreas e a definição destes cruzamentos dentro da organização devem ser feitos e são necessários, mas esse controle deve vir da diretoria e das áreas gerenciais do negócio.

Envolvimento estratégico

Geralmente as empresas que alcançam alta performance, possuem líderes, diretores e colaboradores envolvidos diretamente no planejamento estratégico e na tomada de decisões.

Estas equipes utilizam informações e análise de dados comerciais para elaborar estratégias ao invés de simplesmente reagir à elas. Ou seja, o trabalho é sempre realizado com o objetivo de identificar soluções aos problemas do negócio. Saiba que durante o processo, falhas e erros podem surgir, nesse sentido é importante ter o mindset de errar rápido e corrigir rápido, uma vez que isso servirá de aprendizado para as próximas ações.

Diretores das organizações com alta performance se envolvem mais efetivamente no planejamento estratégico de mão de obra, ajudando a explorar cenários em potencial e prever o impacto das tendências sobre a força de trabalho e a alta produtividade, encontrando assim, caminhos para que suas equipes possam trabalhar com melhor qualidade.

Tomada de ações baseadas em análise

Análises permitem um poderoso compartilhamento entre os setores. Quando estes dados são consistentes, maduros e estão claros a todos, seus líderes e diretores têm a oportunidade de tomar decisões a partir de uma perspectiva objetiva.

Isso faz com que oportunidades e riscos sejam identificados, dando clareza ao que impulsiona e o que atrapalha o desempenho do negócio. Análises de previsão podem ser a carta na manga da sua organização, fazendo com que você sempre esteja um passo à frente dos concorrentes que não tem essa visão estratégica.

A construção de um mindset de análise de dados com previsão, traz maior alinhamento e sinergia entre as áreas. Portanto isso permite que:

  • Softwares ou novas tecnologias sejam implantados e utilizados;
  • Menor risco de gargalos operacionais, uma vez que a comunicação da empresa está mais alinhada;
  • Menor risco de falhas, economizando recursos e otimizando investimentos;
  • Maior autonomia entre times e colaboradores, permitindo que processos sejam criados, corrigidos e otimizados o tempo todo;
  • Investimento em times de alta performance com cursos, eventos e especializações.
  • Retenção e atração de talentos.   

O fator humano neste processo

Outra questão em toda equação das características de corporações com alta performance é o cuidado com o fator humano no processo de construção e estruturação do negócio.

Geralmente, empresas que entendem a importância do investimento em setores ou ações voltadas ao colaborador, obtém melhores indicadores neste sentido.

Aqui também é importante definir indicadores rigorosos em relação aos recursos humanos. É importante também adotar estratégias e ações que possibilitem que estes “medidores de felicidade” e consequentemente resultados positivos ao negócio sejam efetivamente promovidos.

Algumas das características voltadas aos indicadores humanos que também são características de empresas com alta performance:

Ascensão na carreira:

Empresas que investem na ascensão e no plano de carreira de seus colaboradores possuem maiores chances de crescimento. Uma vez que os objetivos individuais estão claros, é papel do colaborador trilhar o caminho e a empresa oferecer as ferramentas e recursos para tal.

Equilíbrio entre vida profissional e pessoal:

Nada de jornadas exaustivas, e-mails ou mensagens fora de hora. Empresas que entendem que o profissional deve ter tempo para curtir com a família por exemplo, conseguem melhores resultados.

Investimento no aprendizado:

Será que vale mais a pena contratar um novo colaborador só pelo fato de falar inglês ou ensinar inglês aos colaboradores que já estão com você? Corporações que investem na especialização e investem no aprendizado de seus funcionários crescem junto com eles.

Flexibilidade:

Um dos aspectos comuns às empresas de alta performance em que os profissionais sonham em atuar é a flexibilidade oferecida. Esse ponto pode ter várias vertentes, entre elas o home office e a possibilidade de horários diferenciados se destacam.

Traga questões profundas para as discussões

Além de todas as características mencionadas acima, é necessário entender a importância em acompanhar as principais tendências e questões que envolvem o cenário que as corporações estão inseridas hoje. Quais são suas maiores dores, desafios e obstáculos nos próximos anos e como encontrar meios e caminhos para crescer em meio à estas questões.

E é justamente com o intuito e objetivo de trazer à mesa questões que impactam você como profissional e sua empresa como um todo, que nós da DIWE, o convidamos para conferir o episódio do #ProTalks em que batemos um incrível papo com a Camilla Junqueira, CEO da Endeavor Brasil. E se você realmente quer dar o primeiro passo rumo à alta performance da sua organização, confere o vídeo, com toda certeza o conteúdo irá te ajudar!

Equipe Diwe

Equipe Diwe

Deixe um comentário

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse
com o
Deep team

O que você tem pra nos dizer? Nos unimos pelas pessoas que somos e pelo mindset que temos. E queremos compartilhar isso com você.