Como identificar, monitorar e superar concorrentes com estratégias de SEO

As maiores guerras da história da humanidade foram vencidas não por quem tinha o maior exército, mas por quem conhecia melhor os inimigos. Foi assim na Batalha de Austerlitz, onde 75 mil soldados franceses, comandados por Napoleão Bonaparte, derrotaram 105 mil soldados russos e austríacos.

Quando falamos de marketing digital, podemos fazer uma analogia direta. Não no contexto da guerra propriamente dita, mas de alcançar mais resultados com menos investimento quando comparado aos concorrentes. E para isso, precisamos conhecer e monitorar suas estratégias com frequência e inteligência.

Neste artigo, vamos explicar como mapear, analisar e criar um plano de ação com base nas estratégias de SEO (Search Engine Optimization) dos seus concorrentes. E mais, vamos ajudar você a compreender que não devemos nos preocupar apenas com os concorrentes diretos, mas também os indiretos. Qualquer domínio que está conseguindo tráfego com uma palavra chave estratégica para o seu negócio, é um concorrente.

E é justamente por estes fatores que muitos não conseguem obter resultados efetivos no digital. Criar um site, uma conta no Instagram e impulsionar alguns posts no Facebook são menos de 1% do necessário. Se você não souber o motivo de cada um destes ativos, como trabalhar em cada um deles, de nada adianta “estar na internet”.

Mas fique tranquilo, você não precisa começar fazendo tudo ao mesmo tempo e investindo alto. O importante é começar e seguir o caminho que faça mais sentido para o seu negócio, para depois ir escalando, por isso o segundo objetivo deste artigo será te ajudar na identificação dos canais mais relevantes e na priorização das ações que você precisa realizar.

Mas porque vamos utilizar as estratégias de SEO como fonte de análise? Simplesmente pelo fato delas nos entregarem um volume muito rico de informações sobre o comportamento, tamanho e ações que os concorrentes estão realizando, tudo a partir da intenção de busca dos consumidores.  

Preparados?

Mapeando os concorrentes

O primeiro passo – e talvez o mais importante – é saber com quem estamos concorrendo, e para isso vamos realizar duas ações:

  • Listar os concorrentes diretos, aqueles que concorrem diretamente com as ofertas da minha empresa;
  • Listar os concorrentes indiretos, aqueles que estão disputando tráfego com as mesmas palavras-chaves que estou buscando atrair visitantes (uma simples busca no Google para encontrá-los).

Percebam que estamos partindo de uma ótica totalmente voltada as buscas on-line. Ainda não estamos falando de redes sociais ou mídia paga, e isso é proposital. Explico: 87% dos negócios e compras online iniciam com uma pesquisa, depois dessa interação inicial é que os demais canais começam a entrar em cena.

Mas voltando aos concorrentes, listar os diretos é mais fácil, afinal todos sabem (ou deveriam) saber quem são os seus principais concorrentes. Agora, como sei quem são meus concorrentes indiretos?

Como encontrar meus concorrentes indiretos?

Vamos supor que você trabalhe no marketing de uma empresa de consultoria financeira. Entre os principais serviços, vocês apoiam empresas com planejamento financeiro, terceirização contábil e elaboração de relatórios. Quando você pesquisar no Google sobre qualquer um destes serviços, todos os primeiros resultados que aparecerem, e que não forem empresas de consultoria financeira, são concorrentes indiretos.

Vou explicar melhor. Existem diversos sites de notícias e blogs pessoais que acabam aparecendo nestas buscas. Estes sites não concorrem diretamente com o serviço da sua empresa, às vezes nem serviços oferecem, mas estão concorrendo nas estratégias de SEO, ou seja, com acessos que poderiam estar indo para o seu site.

Por isso, quando estamos falando de concorrentes no digital, é importante acompanharmos os principais diretos e indiretos. Mas, tão importante quanto saber quem são eles, é saber como estão em relação a você na presença digital, mais especificamente na competição pelos resultados de busca no Google.

Como entender as estratégias de SEO dos meus concorrentes?

Vamos seguir com o exemplo anterior, de uma empresa de consultoria financeira. Já temos nossa lista de concorrentes diretos e indiretos, agora precisamos entender suas estratégias, forças e fraquezas, e para isso, recomendo duas ferramentas que vão nos ajudar: SEMRush, que possui uma versão gratuita, porém com limites de uso, e também a Ubersuggest, que é mais enxuta mas totalmente gratuita.

Para esta análise, a Ubersuggest nos atende bem, por isso vamos seguir com ela.

Ao acessar a ferramenta, você tem a opção de adicionar uma palavra-chave ou um domínio. Neste caso, como já mapeamos nossos concorrentes, vamos direto no domínio, mas caso queira encontrar outros, insira a palavra-chave.

Imagem: Divulgação

Para nosso exemplo, o primeiro concorrente que identificamos foi o site “parmais.com.br”, por isso vamos dar uma espiada nele. Inserimos o domínio, selecionamos Brasil e buscamos. Serão exibidos diversas informações sobre o site em questão. Fique tranquilo, são todos dados abertos ou estimados, não estamos quebrando nenhuma lei. 

De todas estas informações, algumas são bem importantes para entendermos onde nosso concorrente está bem e onde podemos avançar com nossa estratégia. Analisando as primeiras informações, temos o seguinte cenário:

  • Palavras-chaves orgânicas: total de termos diferentes que acionam as páginas do site nas buscas orgânicas (buscas gratuitas);
  • Tráfego orgânico mensal: a média de acessos vindo destas buscas, todos os meses;
  • Domain Score: é a força do domínio (em uma escala de 0 a 100). Quanto maior, mais ele tende a estar nos primeiros resultados
  • Backlinks: total de citações de outros sites mencionando o domínio (quase como um boca a boca online);

Estas 4 informações são importantes para analisarmos a força que o concorrente tem nas buscas online, tanto em volume de palavras-chaves, quanto em volume de acessos. É importante analisar as duas juntas, pois muitas vezes, o site pode ter poucas palavras mas gerar muito acessos, isso porque está em posições nos resultados de busca muito bons, como ao contrário. 

E já que falamos das palavras-chaves, o próximo item a analisar são elas. Na mesma tela do Ubersuggest, vá até o final na seção Palavras Chaves de SEO e clique em “ver todas as palavras-chaves de SEO para as quais este domínio ranqueia”.

Agora entramos em uma das seções mais interessantes desta análise, pois aqui temos uma visão completa de todas as palavras-chaves que o concorrente está gerando tráfego. Com estas informações, podemos tirar diversos insights e começar a traçar nossa estratégia de marketing digital, tanto de SEO quanto de outros canais (logo abordaremos este item).

Ao acessar a tela de palavras-chaves, vamos ter as seguintes colunas:

  • Palavras-chave: relação de todas as palavras-chave que o concorrente está ranqueando;
  • Volume:  média de buscas mensais que aquela palavra-chave tem por mês;
  • Posição: posição nos resultados de busca que o concorrente aparece para a palavra-chave;
  • Est. Visitas: estimativa de quantas visitas o concorrente consegue em média por mês apenas para aquela palavra-chave;
  • URL: a página que está ranqueando para aquela palavra-chave;
  • SEO difficulty: a dificuldade média para conseguir indexar para aquela palavra-chave (em uma escala de 0 a 100). Quanto mais alto, mais difícil.

Como superar seus concorrentes a partir do SEO

Agora que já temos mapeado estas informações, vou listar os 25 passos para criar uma estratégia de marketing digital para a sua empresa. Antes de mais nada, minha recomendação é você selecionar as palavras-chaves de aproximadamente 10 concorrentes diretos e indiretos, criar uma planilha e então:

Conteúdo

  1. Selecione de 30 a 40 palavras-chaves de cada concorrente direto e indireto, que são estratégicas para você;
  2. Coloque estas 300 a 400 palavras-chaves em uma mesma aba da planilha, junto com o indicador de SEO difficulty;
  3. Para cada palavra-chave, associe todos os concorrentes em comum que estão utilizando ela;
  4. Selecione as 100 palavras que possuem (nesta ordem)
    1. maior relevância para o seu negócio;
    2. menor SEO difficulty;
    3. menos concorrentes ranqueando organicamente;
    4. maior volume de busca.
  5. Crie uma pasta no seu computador ou na nuvem para cada uma das 100 palavras-chaves;
  6. Entre no link dos concorrentes para estas 100 palavras-chaves e crie um repositório de conteúdo – salve todos os textos utilizados por eles nas respectivas pastas;
  7. Criei um documento de texto dentro de cada pasta, abra todos os conteúdos que salvou dos seus concorrentes e anote no documento:
    1. tudo o que eles falam em comum nos conteúdos;
    2. tudo o que você poderia falar a mais que eles não falam;
  8. Repita isso para cada uma das 100 palavras-chaves;
  9. Crie um conteúdo do zero para cada palavra-chave, utilizando todos os pontos relevantes identificados nas suas anotações – certifique-se que ele está mais completo, esclarecedor e rico que o dos seus concorrentes;
  10. Crie um blog junto ao seu site e inicie as publicações;
  11. Em cada conteúdo publicado, utilize:
    1. imagens;
    2. links para outras áreas do seu site;
    3. links para conteúdos relacionados fora do seu site;

Ótimo, em 11 passos já temos nossa estratégia de criação de conteúdos de qualidade criada. Este processo será contínuo, por isso não se preocupe em criar os 100 conteúdos rapidamente, faça dentro do seu tempo, o importante é manter uma continuidade e ter publicações novas com frequência.

Agora vamos avançar para outros canais.

Redes Sociais

  1. Converse com alguns clientes mais próximos, descubra quais as principais redes sociais que ele acessa;
  2. Crie um página da sua empresa nestas redes sociais, e também um perfil pessoal;
  3. Divulgue os conteúdos do que forem publicados no blog nas nas páginas da empresa e também no seu perfil pessoal;
  4. Sempre que publicar no seu perfil pessoal, marque clientes, fornecedores e parceiros para acessarem o conteúdo;
  5. Selecione os principais conteúdos e faça lives (transmissão ao vivo) comentando sobre o tema – gere relevância e influência sobre o assunto;

Mantenha essa rotina nas redes sociais. Utilize ela para gerar credibilidade e autoridade sobre o que você está promovendo, mas sempre entregando conteúdo de qualidade. Evite falar apenas dos seus serviços, isso será consequência.

Mídia Paga

  1. Volte para a planilha que você criou anteriormente – lembre-se que selecionamos apenas as 100 palavras-chaves que se encaixavam em 4 critérios;
  2. Identifique agora as outras 100 palavras-chaves que também são relevantes para o seu negócio, mas que possuíam:
    1. maior SEO difficulty;
    2. menor volume de busca;
    3. mais concorrentes ranqueando organicamente;
  3. Utilize o Planejador de palavras-chaves do Google Adwords para estimar o custo médio para comprar o tráfego para estas palavras – elas podem ter maior concorrência orgânica, mas não necessariamente são caras para comprar;
  4. Das 100, selecione as que possuem menor CPC (custo por clique);
  5. Defina um valor mensal que você pode / deseja investir para patrocinar estas palavras no Google Ads;
  6. Crie uma campanha com as 50 palavras-chaves mais baratas;
  7. Direcione os links comprados para o seu site e para os seus conteúdos;

Mantenha uma frequência de acompanhamento das campanhas. É importante entender vários critérios de otimização e resultados, para não realizar investimentos altos e desnecessários. Minha recomendação é sempre contar com um especialista para apoiar nestas etapas mais técnicas. 

Conversão

  1. Garanta que o seu site possua pontos de conversão, como:
    1. formulário de contato;
    2. telefone;
    3. chat online.
  2. Utilize ferramentas de monitoramento de navegação, como o Hotjar para entender se a navegação do seu site está fluída e de fácil entendimento.

Em resumo, toda a construção destas ações teve inicio com a análise das estratégias de SEO dos nossos concorrentes, passando por uma fundamentação muito forte em conteúdo (um dos principais elementos do SEO) e depois avançando para desdobramentos, inclusive em outros canais, como redes sociais e mídia paga.

E sim, existem diversas e diversas outras características e atributos que compõem uma estratégia de SEO, porém esta sequência já é capaz de nos dar diversos direcionamentos, insights e nos posicionarmos de maneira a superar o que os concorrentes estão fazendo e entregando de valor atualmente.

Faça o exercício e veja quantas possibilidades irão aparecer para o seu negócio, afinal, guerra só se vence com a melhor estratégia, e concorrente só se supera com a estratégia mais inteligente.

Equipe Diwe

Equipe Diwe

Deixe um comentário

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse
com o
Deep team

O que você tem pra nos dizer? Nos unimos pelas pessoas que somos e pelo mindset que temos. E queremos compartilhar isso com você.

Storytelling: o que é e qual a importância no seu negócio

Sabemos que os hábitos dos consumidores mudaram e com essa mudança surgiu o neoconsumidor. Digital, global e multicanal, o neoconsumidor ou o consumidor 3.0 agora busca mais um valor: ele quer relacionamento. Mas não se espante (no meu caso, rs), ele não quer casamento não, mas ele quer fidelidade e lealdade.

Paralelo a isso as empresas já estão pensando dessa maneira, seja na forma como se relacionam com os seus clientes, atendimento, entrega, pós-venda ou serviços prestados. As marcas atualmente querem ser lembradas e admiradas e, assim, a comunicação deve ser muito mais humanizada. Elas querem estar cada vez mais próximas dos seus consumidores.
E é aí que o storytelling entra em cena! Na realidade essa estratégia não é tão nova assim, ela já existia muito antes da escrita, com as primeiras formas de se contar uma história. Porém, ela foi ficando em evidência conforme a comunicação foi evoluindo e hoje em dia o Marketing e a Publicidade usam esse recurso para se aproximarem de seus públicos de interesse envolvendo e criando um relacionamento mais próximo.

Definição de storytelling

É um termo em inglês e quer dizer: capacidade de contar histórias relevantes. É uma maneira antiga e poderosa de dar vida e cor à sua marca por meio de vídeos e outros materiais, sendo parte importante do marketing de conteúdo.

O conceito passa por algumas fases:

A primeira é saber ouvir e entender o seu público. Depois desse entendimento é necessário aprender mais sobre a empresa e assim descobrir qual é a sua caminhada pelo mercado, ou melhor, a sua história, ou histórias.

Após isso o que resta é usar essas histórias para criar novos conceitos e campanhas que instiguem e encantem seus clientes, tornando eles propagadores da sua marca.

Porém, para que a estratégia dê certo é necessário fazer com que os clientes se identifiquem e se emocionem com o que estão vendo ou ouvindo. Ou seja, é necessário tocar o coração de quem está vendo, é disso que depende o sucesso da sua estratégia.

Por que aderir ao storytelling

Contar uma história cria um vínculo muito maior com as pessoas. Por exemplo: em vez da sua empresa ficar falando de um serviço que oferece, ela poderia contar a história de alguém que teve sua rotina facilitada ao usar aquela solução. Ao ver que o problema do outro pode ser o nosso também, a tendência é que a gente se identifique muito mais. Isso acaba criando uma relação emocional com os os públicos de interesse da sua empresa.

Storytelling nada mais é do que a arte de contar histórias e fugir daquela relação fria de apenas compra e venda com o seu consumidor. Afinal, você quer que o seu negócio seja lembrado e para isso terá que fazer com que as pessoas sintam-se tocadas de alguma forma. O storytelling é a melhor maneira de fazer isso.

E aí, você curtiu saber um pouco mais sobre essa estratégia? Aqui deixo dois exemplos para você ver na prática do que estou falando. 🙂 Assista aos vídeos e depois escreve para me contar se o storytelling te tocou ou não. Eu aposto que sim! 😀

Equipe Diwe

Equipe Diwe

Deixe um comentário

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse
com o
Deep team

O que você tem pra nos dizer? Nos unimos pelas pessoas que somos e pelo mindset que temos. E queremos compartilhar isso com você.