[Vídeo] Autoconhecimento profissional: você tem sido profissionalmente quem gostaria de ser?

Autoconhecimento profissional: você tem sido profissionalmente quem gostaria de ser?

Quando foi a última vez que você parou para fazer algo comum na sua rotina de uma forma diferente? Ou que saiu do piloto automático ao realizar uma atividade e percebeu que poderia ser muito mais produtivo? Como anda o seu autoconhecimento profissional?

Estamos vivendo tempos em que estes questionamentos serão cada vez mais comuns, principalmente quando pensamos na iminente necessidade de transformação que empresas e profissionais têm pela frente.

Mas a grande questão que fica neste cenário é: como eu, profissional, posso me transformar e melhorar o ambiente no qual eu estou inserido?

Autoconhecimento profissional e o fantasma da zona de conforto

A mudança pode parecer assustadora e para muitas pessoas, o desconhecido é desafiador. É pela insegurança e conforto em estar onde está, que percebe-se tanta resistência dos profissionais em mudar e repensar a forma com que fazem as coisas.  

O ser humano, por natureza, gosta de segurança e estabilidade, mas no cenário de constante transformação, onde empresas, tecnologias e processos se tornam obsoletos o tempo todo, é preciso adotar uma postura mais desapegada, ser maleável e adaptável às novas necessidades.

Sabe aquele papo clichê sobre sair da zona de conforto? Ele nunca foi tão real. O mercado hoje não tem espaço para conformismo e os profissionais devem ser os agentes de transformação dos ambientes e mercados em que estão inseridos.

“Os profissionais hoje estão sendo pressionados a mudarem mais constantemente e mais rapidamente do que as gerações anteriores” – Gilberto Brant.

Não sabe por onde começar? Olhe ao seu redor

Uma característica importante, e que deve ficar muito clara a todos, é que a transformação não envolve apenas a mudança na forma com que uma empresa atua. A transformação é, sobretudo, uma mudança de mindset, na forma de se pensar e melhorar cada pequena entrega do dia a dia (falamos mais sobre o assunto e como começar a mudança nesse super conteúdo).

Um aspecto interessante neste cenário é a liderança de si mesmo, que é a capacidade de analisar o ambiente em que está inserido, identificar melhorias e evoluções que podem ser implementadas, ter papel preponderante e tomar a frente destas mudanças.

Isso permite que os cenários de inovação sejam cada vez mais comuns dentro do cotidiano nas corporações (e, principalmente, na sua carreira profissional) e que aos poucos a cultura empresarial como um todo absorva estas movimentações de forma positiva.

É aqui que características que vão além das capacidades técnicas, ganham mais importância e valor, uma vez que o mercado exigirá profissionais resilientes, transformadores e proativos.  

Soft skills: the next big and important thing

“As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos” – Peter Drucker, “pai” da administração moderna.

Soft skills são as características e habilidades comportamentais de cada indivíduo e estão diretamente atreladas à inteligência emocional, autoconhecimento, comunicação intra e interpessoal, liderança, empatia e resiliência – ou seja, a sua capacidade de estar preparado para lidar com desafios profissionais e pessoais. Cada vez mais importantes e necessárias, ganham espaço nos ambientes corporativos

As soft skills permitem e incentivam profissionais a serem cada vez mais disruptivos, adaptáveis, questionadores e que busquem sempre melhorar processos, testar, inovar e repensar suas entregas.

A busca e a base disso tudo é o autoconhecimento – profissional e pessoal – que é fundamental para permitir que se desenvolvam essas habilidades.

Já dizia Sócrates: conheça-te a ti mesmo!

O autoconhecimento é o fator preponderante na mudança, seja ela qual for. É o exercício de entender a si mesmo e é com ele que se entende quais são os pontos fortes e habilidades que podem ser trabalhadas ou melhoradas profissionalmente e que impactam a sua vida pessoal também

Os medos da transformação estão diretamente atrelados ao modo de pensar, o famoso modelo mental e é ele quem deve ser transformado, seja através do exercício do autoconhecimento, meditação, realização de cursos e workshops ou do acompanhamento profissional. 

É não ficar parado, sendo espectador da sua própria vida.

Programação Neurolinguística (PNL)

A programação neurolinguística, também conhecida como PNL, é uma metodologia criada com base na atuação de terapeutas de sucesso e que visa desconstruir modelos mentais limitadores na vida das pessoas.

Ela busca a compreensão do funcionamento interno, identificando estes modelos que acabam te puxando e bloqueando, para questioná-los e ressignificá-los.

Na prática, a busca pelo autoconhecimento com a utilização da PNL pode ajudar indivíduos nos mais diferentes aspectos da vida, como: lidar com a ansiedade e sentimentos negativos, desenvolver habilidades de liderança, planejar e atingir metas de performance, identificar a forma natural de aprendizado das coisas.

Mas por que e onde mudar? Ter essas respostas é necessário e se reinventar baseado no meio em que convivemos é o que nos diferencia no meio profissional. Você está se auto liderando?

Quer entender melhor como estar pronto para ser líder de si mesmo, deixando para trás as crenças limitantes que podem estar atrapalhando o seu desempenho pessoal? No segundo episódio da websérie Profound Talks, conversamos com Gilberto Brant, Diretor de Marketing e Vendas da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística, para falar justamente sobre como ser líder de si mesmo.

Prepare-se para abrir os olhos e compreender e como seu autoconhecimento pode contribuir nessa fase de mares turbulentos.

Equipe DIWE

Equipe DIWE

Deixe um comentário

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse
com o
Deep team

O que você tem pra nos dizer? Nos unimos pelas pessoas que somos e pelo mindset que temos. E queremos compartilhar isso com você.